Sousa e Elias arredados em pares

João Sousa e Gastão Elias, a competirem no quadro principal de pares do Portugal Open por via de um wild card, foram ao início da tarde eliminados por Scott Lipsky e Santiago Gonzalez, terceiros cabeças-de-série, falhando assim o acesso à tão ambicionada final. O par português deu muita luta aos experientes adversários, mas acabou por ceder ao fim de uma hora e quatro minutos, pelos parciais de 6-3 6-3.

“Penso que tivemos uma boa prestação. Eles eram sem dúvida os favoritos, não só para hoje como para o torneio. Saímos de cabeça erguida porque sabemos cada vez mais que temos um bom par. Estou contente com a nossa prestação”, avaliou Gastão Elias. Uma opinião corroborada por Sousa: “Penso que fizemos um excelente encontro. Parece um resultado fácil mas do meu ponto de vista não foi nada fácil. Sinto que temos nível para sermos competitivos a este nível“, frisou.

A dupla portuguesa entrou bem no encontro, mas dois “deciding points” acabaram por ditar uma desvantagem de 0-2. A partir daí, Elias e Sousa mantiveram-se sempre na discussão do set, mas, no sétimo jogo, novo ponto de ouro, desta feita discutido num ponto espectacular de lado a lado, acabou por dar uma decisiva vantagem de 5-2 à dupla mais cotada. No segundo set, os portugueses mantiveram o bom nível, mas um break no sétimo jogo viria a revelar-se novamente decisivo.

“Saio satisfeito porque dei o meu melhor tanto e singulares como em pares. Como dei o máximo, penso que não poderia ser melhor. Claro que poderia em termos de resultados, mas não em termos de atitude e empenho”
, comentou Elias. Já João Sousa mostrou-se menos satisfeito: “Tenho a mesma opinião do que o Gastão, mas não estou contente com os resultados”, afirmou. Apesar da derrota, a dupla portuguesa sai do Jamor como o quinto par português da história a conseguir chegar às meias-finais do torneio de pares do Portugal Open.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *